A A A

Demora no Desmame da Ventilação Mecânica e Risco de Mortalidade

Desmame prolongado da ventilação mecânica (VM) em pacientes críticos está associado à um risco de mortalidade, quando comparado aos pacientes com sem desmame ou com desmame fácil.

Esta foi a conclusão de um estudo recente, publicado no Journal of Critical Care. Os autores Lin Pu e colegas realizaram o estudo com objectivo de avaliar a incidência e desfecho das várias categorias de desmame da ventilação mecânica definidas por consenso internacional (simples, difícil e prolongada).

O estudo, uma coorte prospectiva multicêntrica, incluiu 343 pacientes  em unidades de cuidados intensivos (UCI). Em 58% dos pacientes tiveram desmame prolongado, 29% difícil e 13% simples. O grupo com desmame prolongado apresentou maior mortalidade em relação aos outros 2 grupos. A análise multivariada mostrou que os preditores independentes de desmame prolongado foram o baixo Glascow Coma Score (GCS) e a hipercaptnia no momento da primeira respiração espontânea, ambos com significado estatístico (p < 0,014 e p=0,038 respectivamente).

O desmame da ventilação mecânica

O processo de desmame da ventilação mecânica (VM) ocupa 40% do tempo da ventilação. Este processo não é a extubação. Corresponde ao conjunto de medidas que antecedem e preparam a extubação

O sucesso do desmame em pacientes submetidos à VM tem sido definido utilizando sinais e sintomas clínicos. Apesar de protocolos e experiências de vários serviços, a falha na extubação ocorre em cerca de 24% dos casos. Por isso, alguns índices e parâmetros são utilizados para prever e identificar o momento da extubação. Estes incluem diferentes funções fisiológicas do sistema respiratório, que permitem a identificação do momento em que o paciente está capaz de assumir e manter a sua ventilação, evitando a ventilação por tempo prolongado e suas complicações.

Quando iniciar o desmame da ventilação mecânica?

Não existem dados objectivos sobre quando iniciar o processo de desmame da VM, sendo por isso necessária avaliação clínica. Alguns parâmetros objectivos são úteis na tomada desta decisão. Os índices mais utilizados são:

  • resolução da etiologia da insuficiência respiratória e função respiratória estável;
  • estabilidade hemodinâmica, sem ou com baixas doses de drogas vasoactivas;
  • Oxigenação adequada (relação PaO2/FiO2 > 200, FiO2 < 50% – PEEP < 7,5 cm H2O)
  • paciente é capaz de iniciar e manter em ventilação espontânea.
  • ausência de acidose (pH 7,3) e hipercapnia ( pCO2 > 50 cmH2O)

[tabs style=”h1″ ]
[tab title=”Referências” ]

  1. Lin Pu et al. Weaning Critically Ill Patients from Mechanical Ventilation: A Prospective Cohort Study
  2. Richar S. Irwin, Craig M. Lilly, James M. Rippe. Manual of Intensive Care. 6th Edition. 2014
  3. Retirada (Desmame) da Ventilação Mecânica

[/tab]
[/tabs]

Especialidades: Medicina Intensiva Palavras-chave: , , ,

Copyright © 2014 - 2018. Portal angomed.comTermo de Uso | Política de Privacidade