OMS: Novas normas de qualidade de atendimento da gestante e do recém-nascido. | ANGOMED NEWS
A A A

OMS: Novas normas de qualidade de atendimento da gestante e do recém-nascido.

Parteira, ouvindo o batimento cardíaco de um bebê no ventre de uma gestante

Há uma crescente consciência global de que bons cuidados de saúde são fundamentais para manter as mães e os bebês vivos e bem. A cada ano ocorrem cerca de 303 mil mortes de mulheres durante a gravidez e o parto, 2.6 milhões de nado-mortos e 2.7 milhões de mortes de bebês nos primeiros 28 dias de vida. Uma melhor atenção pode prevenir muitas dessas mortes.

Cada vez mais bebês estão nascendo em unidades de saúde. Uma nova “Rede para Melhorar a Qualidade da Atenção à Saúde Materna, do Recém-nascido e da Criança” apoiada pela ONU, UNICEF e outros parceiros, visa ajudar os países a melhorar a qualidade do atendimento nos centros de saúde e a respeitar os direitos e a dignidade daqueles que procuram seus serviços. A rede inclui actualmente apenas 9 países: Bangladesh, Costa do Marfim, Etiópia, Gana, Índia, Malawi, Nigéria, Tanzânia e Uganda. Estes países se comprometeram a reduzir para metade os óbitos evitáveis ​​de mulheres grávidas e recém-nascidos nos seus próximos 5 anos.

Esta Rede tem como objetivo fortalecer os esforços nacionais para acabar com as mortes evitáveis ​​até 2030, como previsto pela Estratégia Global de Toda Mulher Toda Criança para a Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente. Os países farão isso, por exemplo, reforçando a capacidade e motivação dos profissionais de saúde para planejar e gerenciar a melhoria da qualidade, melhorando a coleta de dados e aumentando o acesso a medicamentos, suprimentos, equipamentos e água potável.

“Todas as gestantes e bebês merecem receber a mais alta qualidade de cuidados quando acessam os serviços de saúde em suas comunidades”, diz o Dr. Anthony Costello, diretor do Departamento de Saúde Materna, do Recém-nascido, da Criança e do Adolescente da OMS.

“Todas as gestantes e bebês merecem receber a mais alta qualidade de cuidados quando acessam os serviços de saúde em suas comunidades”

Dr. Anthony Costello, diretor do Departamento de Saúde Materna, do Recém-nascido, da Criança e do Adolescente da OMS.

Novas normas de qualidade de atendimento da gestante e do recém-nascido.

Utilizando os Padrões da OMS para melhorar a qualidade dos cuidados maternos e neonatais em estabelecimentos de saúde , publicados em 2016, os países da Rede trabalharão para melhorar tanto a provisão como a experiência dos pacientes em cuidados de saúde. Os oito novos padrões fornecem uma estrutura de qualidade de atendimento que ajudará os países a garantir que seus serviços sejam seguros, eficazes, oportunos, eficientes, equitativos e centrados nas pessoas.

De acordo com as normas da OMS, os estabelecimentos de saúde devem contar com profissionais de saúde competentes e motivados e com a disponibilidade de recursos essenciais, como água limpa, medicamentos, equipamentos, suprimentos e gerenciamento adequado de resíduos. Eles também precisam de sistemas de referência funcional entre os níveis de atendimento, acesso a ambulâncias funcionando para transporte de emergência e sistemas de informação que coletam registros de pacientes adequados, registram nascimentos e mortes e facilitam auditorias de rotina.

Além disso, os padrões ajudam os países a garantir que nenhuma mulher ou recém-nascido seja submetido a práticas desnecessárias ou prejudiciais durante o parto, o parto ou o período pós-natal precoce. Ele garante que todos os pacientes recebem privacidade e que sua confidencialidade é respeitada.

Fonte: Organização Mundial da Saúde (OMS)

Especialidades: Ginecologia e Obstetrícia , Saúde Comunitária e Familiar Palavras-chave: , , , ,

Copyright © 2014 - 2018. Portal angomed.comTermo de Uso | Política de Privacidade