A A A

Infecção Viral é a Principal Causa de Pneumonia em Crianças (New England)

Segundo um estudo publicado em 26 de Fevereiro no New England Journal of Medicine, os vírus respiratórios foram responsáveis ​​pela maioria dos casos de pneumonia adquirida na comunidade, entre crianças internadas, e uma em cada quatro crianças estudadas tinham múltiplos agentes patogénicos. As novas descobertas podem redireccionar as decisões clínicas e prescrições, de acordo com um especialista.

O estudo foi conduzido por Seema Jain, MD, médico epidemiologista, e colegas do Divisão de Influenza, dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, sigla em inglês), Atlanta, Georgia. Ao todo foram inscritas 2.638 crianças menores de 18 anos, diagnosticadas com pneumonia no estudo de vigilância de base populacional. As crianças foram hospitalizadas em três hospitais em Memphis e Nashville, Tennessee, e Salt Lake City, Utah, entre Janeiro de 2010 e Junho de 2012. Foram excluídas as crianças com hospitalização recente ou imunossupressão grave. Amostras de sangue e secreção respiratória foram colectadas de forma sistemática para detecção de agentes infecciosos com o uso de vários métodos. As radiografias de tórax foram revisadas de forma independente por radiologistas do estudo.

Os resultados

Dos 2.638 pacientes estudados, 2.358 (89%) tinha evidência radiográfica de pneumonia. A idade média das crianças foi de 2 anos (intervalo interquartil, 1-6); Das 2.358 crianças, 497 crianças (21%) necessitaram de tratamento intensivo e 3 (<1%) morreram. Entre 2222 crianças com evidência radiográfica de pneumonia e com amostras disponíveis para testes, um vírus ou bactéria foi detectado em 1802 (81%), um ou mais vírus em 1472 (66%), bactérias em 175 (8%) , e ambos os agentes patogénicos bacterianos e virais em 155 (7%). A incidência anual de pneumonia foi de 15,7 casos por 10.000 crianças (95% intervalo de confiança [IC], 14,9-16,5), com a maior taxa entre as crianças menores de 2 anos de idade (62,2 casos por 10.000 crianças; 95% CI, 57,6 a 67,1). O vírus sincicial respiratório foi mais comum entre as crianças menores de 5 anos de idade do que entre as crianças mais velhas (37% versus 8%), assim como os adenovírus (15% versus 3%) e metapneumovírus humano (15% versus 8%). O mycoplasma pneumoniae foi mais comum entre crianças de 5 anos de idade ou mais do que entre as crianças mais jovens (19% versus 3%).

“Etiologia da pneumonia tem sido historicamente muito difícil determinar”, disse Samir S. Shah, MD, MSCE, professor do Departamento de Pediatria da University of Cincinnati College of Medicine, Ohio. “O que este estudo usou os melhores métodos de identificação disponíveis para nos ajudar a compreender realmente a etiologia da pneumonia global, e discriminadas por idade.” O Dr Shah é  co-autor Diretrizes para a Prática Clínica para Abordagem de Pneumonia em crianças com mais de 3 meses, da Infectious Diseases Society of America e Pediatric Infectious Diseases Society of America.

Agora sabemos que a maioria dos casos de pneumonia, mesmo aqueles com resultados anormais de raios-X, são causadas por vírus, porém não está claro se todas as crianças vão precisar de antibióticos.

O Dr Shah disse ao ao Medscape Medical News que os resultados do estudo sobre pneumonia por Mycoplasma foram particularmente impressionante. “Ela é responsável por uma grande parte dos casos de pneumonia – 19% em crianças de 5 anos ou mais – cerca de 1 em cada cinco crianças”. No entanto, o tratamento da pneumonia pelo Mycoplasma é controversa porque muitas pessoas que estão infectadas permanecem assintomáticas ou melhoram sem tratamento. “No entanto, tem havido alguma evidência de que o tratamento pode oferecer algum benefício”.

Outro achado importante, foi o fato de que, das 2358 crianças que tiveram um achado radiológico de pneumonia, a grande maioria teve pneumonia causada por vírus. “Actualmente, as crianças com diagnóstico de pneumonia, baseado em uma radiografia de tórax acabam recebendo antibióticos. Agora sabemos que a maioria dos casos de pneumonia, mesmo aqueles com resultados anormais de raios-X, são causadas por vírus, porém não está claro se todas as crianças vão precisar de antibióticos. ”

Em um comunicado à imprensa, o Director do CDC, Tom Frieden, MD, MPH, chamou o estudo de “inovador”, dizendo que ele realça “o quanto precisamos de  testes de diagnóstico mais rápidos e mais baratos para que os médicos possam diagnosticar com precisão a causa da pneumonia para que possam efectivamente tratá-la”. Já o Dr. Jain, autor principal do estudo citado no começo do artigo, sublinha o papel das infecções virais. “Os dados recolhidos a partir deste estudo adicionam à base de evidências de que infecções por vírus respiratórios levam a hospitalização por pneumonia e complicações em crianças.”

Dois outros vírus também foram mais comuns em crianças menores de 5 anos: adenovirus (11% do total; 37% entre as crianças com menos de 5 vs 8% entre as crianças mais velhas) e metapneumovírus humano (13% do total, 15% das crianças menores de 5 anos vs 8% entre as crianças mais velhas).

Entre toda a população estudada, rinovírus humano foi o segundo vírus mais comum, encontrada em 22% de todos os casos. No entanto, ele também apareceu em 17% dos controles assintomáticos matriculados nos mesmos três locais durante o período do estudo, dificultando qualquer interpretação do papel do rinovírus em pneumonia.

Os investigadores concluem, que “vacinas anti-virais eficazes ou tratamentos, particularmente para a infecção por VSR, poderia ter um efeito atenuante sobre pneumonia em crianças. A baixa prevalência de detecção de agentes infecciosos bacterianos, provavelmente, reflecte tanto a eficácia das vacinas conjugadas bacterianas bem como testes de diagnóstico relativamente insensíveis.”


Adaptado de:

Medscape Medical News
Viral Infection Most Common Cause of Pneumonia in Children
Jenni Laidman

Artigo Original: Pneumonia and Hospitalization among U.S. Children. N Engl J Med. 2015;372;835-845.

Autores: Seema Jain, M.D., Derek J. Williams, M.D., M.P.H., Sandra R. Arnold, M.D., Krow Ampofo, M.D., Anna M. Bramley, M.P.H., Carrie Reed, Ph.D., Chris Stockmann, M.Sc., Evan J. Anderson, M.D., Carlos G. Grijalva, M.D., M.P.H., Wesley H. Self, M.D., M.P.H., Yuwei Zhu, M.D., Anami Patel, Ph.D., Weston Hymas, M.S., James D. Chappell, M.D., Ph.D., Robert A. Kaufman, M.D., J. Herman Kan, M.D., David Dansie, M.D., Noel Lenny, Ph.D., David R. Hillyard, M.D., Lia M. Haynes, Ph.D., Min Levine, Ph.D., Stephen Lindstrom, Ph.D., Jonas M. Winchell, Ph.D., Jacqueline M. Katz, Ph.D., Dean Erdman, Dr.P.H., Eileen Schneider, M.D., M.P.H., Lauri A. Hicks, D.O., Richard G. Wunderink, M.D., Kathryn M. Edwards, M.D., Andrew T. Pavia, M.D., Jonathan A. McCullers, M.D., and Lyn Finelli, Dr.P.H. for the CDC EPIC Study Team

 

 

Especialidades: Infectologia , Pediatria Palavras-chave: , , , , , ,

Copyright © 2014 - 2018. Portal angomed.comTermo de Uso | Política de Privacidade