A A A

Tratamento Antibiótico Empírico na Primeira Hora Reduz Mortalidade na Sepse e Choque Séptico – Critical Care Medicine

Atraso na administração de antibiótico durante a primeira hora aumenta a mortalidade em pacientes com sepse, sugere estudo publicado no Critical Care Medicine.

A seleção de antibiótico feita na primeira hora do reconhecimento da sepse grave e choque séptico foi mostrado diminuir a mortalidade. O uso de metas de reanimação protocolizado precoce têm sido associados à redução da mortalidade no choque séptico. A antibioticoterapia adequada é a “pedra angular” no tratamento do choque séptico. Antibioticoterapia inadequada pode levar a falhas no tratamento e à resultados adversos, incluindo alto risco de mortalidade. Outras medidas associadas com a redução da mortalidade da sepse e choque séptico são: a reanimação volêmica adequada, o controle do foco infeccioso (por exemplo, drenar coleções existentes, desbridamento cirúrgico de feridas necróticas) e o suporte hemodinâmico e ventilatório adequados (ventilação mecânica, hemodiálise, drogas vasoativas, etc.)

No estudo publicado no Critical Care, os autores fizeram uma análise retrospectiva sobre o banco de dados do Surviving Sepsis Campaign para avaliar a relação entre o tempo de administração de antibióticos e mortalidade hospitalar. Os dados incluíram 165UTIs na Europa, Estados Unidos e América do Sul, sendo avaliados um total de 28.150 pacientes com sepse grave e choque séptico, a partir de janeiro de 2005 a fevereiro de 2010.

A ressuscitação volêmica adequada, o início precoce de antibióticos e o suporte hemodinâmico e ventilatório adequados são fundamentais para salvar a vida de pacientes com sepse ou choque séptico.

Um total de 17.990 pacientes receberam antibióticos após a identificação sepse e foram incluídos na análise. A mortalidade hospitalar global foi de 29,7%. Houve um aumento estatisticamente significativo na probabilidade de morte associada com o número de horas de atraso para a primeira administração do antibiótico. A mortalidade hospitalar ajustado para a gravidade (sepse escore de gravidade), fonte de admissão na UTI (unidade de emergência, enfermaria, vs UTI), e região geográfica aumentou de forma constante após atraso de 1 hora de tempo para administração de antibióticos. Os resultados foram semelhantes em pacientes com sepsia grave e choque séptico, independentemente do número de insuficiência de órgãos.

Os resultados da análise deste grande coorte de base populacional de pacientes com sepse grave e choque séptico demonstram que a demora na primeira administração de antibiótico foi associada ao aumento da mortalidade intra-hospitalar. Além disso, houve um aumento linear no risco de mortalidade para cada hora de atraso na administração de antibióticos. Estes resultados sublinham a importância da identificação precoce e tratamento de pacientes sépticos em ambiente hospitalar.

O estudo foi conduzido por Richard Ferrer e colegas. O Abstract pode ser lido aqui.

[tabs style=”h1″ ]
[tab title=”Links Úteis”]

[/tab]
[tab title=”Referências” ]

  1. M Beatriz Gandra de Souza Dias. Diagnóstico e Tratamento Precoce da Sepse Grave no Adulto. Hospital Sírio-Libanês (Brasil). Acessado em 22/03/2015
  2. Huan J. Chang. Sepsis. JAMA, October 27, 2010—Vol 304, No. 16. Disponível em http://jama.jamanetwork.com/data/Journals/JAMA/4534/jpg1027_1856_1856.pdf
  3. Dellinger RP, Carlet JM, Masur H, Gerlach H, Calandra T, Cohen J, Gea-Banacloche J, Keh D, Marshall JC, Parker MM, Ramsay G, Zimmerman JL, Vincent JL, Levy MM., Surviving Sepsis Campaign Management Guidelines Committee Surviving Sepsis Campaign guidelines for management of severe sepsis and septic shock. Crit Care Med. 2004;32:858–873
  4. Kumar A, Roberts D, Wood KE, Light B, Parrillo JE, Sharma S, Suppes R, Feinstein D, Zanotti S, Taiberg L, Gurka D, Kumar A, Cheang M. Duration of hypotension before initiation of effective antimicrobial therapy is the critical determinant of survival in human septic shock. Crit Care Med. 2006;34:1589–1596.
  5. Leibovici L, Shraga I, Drucker M, et al. The benefit of appropriate empirical antibiotic treatment in patients with bloodstream infections. J Intern Med 1998; 244:379-86

[/tab]
[/tabs]

Especialidades: Emergências Médicas , Medicina Intensiva Palavras-chave: , ,

Copyright © 2014 - 2018. Portal angomed.comTermo de Uso | Política de Privacidade