A A A

Hipertensão Arterial e Medicações Anti-hipertensivas Associadas à Risco Aumentado de Hiperparatireoidismo Primário

Estudo recente publicado no The Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism sugere que a história de hipertensão arterial sistêmica  e o uso de medicamentos para hipertensão está associada à um risco aumentado de hiperparatireoidismo primário.

Vários estudos anteriores, já haviam demostrado associação entre a hipertensão arterial sistêmica (HAS) e níveis elevados de hormona paratiroideia ou parato-hormona (PTH). O estudo citado teve como objectivo avaliar a associação entre a hipertensão, ou uso de medicação anti-hipertensiva específica, e o risco de desenvolvimento de hiperparatireoidismo primário (HPTH-P).

Foi uma coorte prospectiva longitudinal de enfermeiras seguidas entre 1986 e 2008 no estudo Nurses’ Health Study (NHS), de várias partes dos Estados Unidos. Foram incluídas 75.600 mulheres sem história prévia de HPTH-P. A amostra foi constituída principalmente por mulheres brancas e pós-menopausa. O desfecho do estudo foi diagnóstico de HPTH-P por meio de questionário e confirmado por exames laboratoriais.

O risco relativo (ajustado para a idade) de hipertensão e o risco de hiperparatireoidismo foi de 1,80. O risco relativo ajustado à múltiplas variáveis foi de 1,45. Nos pacientes com hipertensão, o uso de furosemida, quando comparado com outras medicações anti-hipertensivas, foi associada à um aumento do risco de HPTH-P, com risco relativo de 1,79 (1,15 – 2,79).

O estudo foi publicado no dia 17 de Abril de 2015 no The Journal ou Endocrinology & Metabolism, por Anand Vaidya, Gary C. Curhan, Julie M. Paik, Henry Kronenberg e Eric N. Taylor

Leia o Artigo Original

Especialidades: Endocrinologia Palavras-chave: , , ,

Copyright © 2014 - 2018. Portal angomed.comTermo de Uso | Política de Privacidade