A A A

Bloqueadores dos Canais de Cálcio vs β-Bloquadores para Fibrilação Atrial de Alta Resposta Ventricular

[quote bcolor=”#1e73be”]Um estudo publicado European Journal of Emergency Medicine sugere que o diltiazem é melhor que o metoprolol no controle da frequência cardíaca na fibrilação atrial de alta resposta ventricular.[/quote]

O estudo, uma revisão sistemática da literatura, comparou a eficácia dos bloqueadores dos canais de cálcio com os β-bloqueadores para o controle agudo da frequência cardíaca em pacientes com fibrilação atrial (FA) com alta resposta ventricular no serviço de emergências. A análise foi feita com dados de 2 estudos duplo-cego randomizados (aleatórios), com número total de pacientes de 92, comparando diltiazem intravenoso (iv) com metropolol (iv). O diltiazem se mostrou mais eficaz no controle da frequência cardíaca nestes pacientes (risco relativo de 1.8, IC=95%).

Leia o artigo (abstract)

O que é a Fibrilação Atrial?

A FA é uma arritmia supraventricular em que ocorre uma completa desorganização na actividade eléctrica atrial, fazendo com que os átrios percam sua capacidade de contracção, não gerando sístole atrial.  Ao electrocardiograma, a ausência de despolarização atrial organizada reflete-se com a substituição das ondas P, características do ritmo sinusal, por um tremor de alta frequência da linha de base do eletrocardiograma que varia em sua forma e amplitude.

Derivação II com Fibrilação Atrial
Traçado electrocardiografico mostrando ritmo de fibrilação atrial. Está representada apenas a derivação II.

A FA é a arritmia cardíaca sustentada mais frequente. Sua prevalência aumenta com a idade e frequentemente está associada a doenças estruturais cardíacas, trazendo prejuízos hemodinâmicos e complicações tromboembólicas com grandes implicações econômicas e na morbi-mortalidade da população. Estima-se que a FA seja responsável por 33% de todos os internamentos por arritmias. A prevalência de FA na população geral é estimada entre 0,4% e 1%, aumentando substancialmente com a idade.

A FA pode causar sensação de palpitações, apresentar-se com consequências hemodinâmicas diversas, provocar fenômenos tromboembólicos variados ou cursar com períodos assintomáticos de duração desconhecida.

Em um artigo recente, faremos uma revisão sobre o tema. Se você já fez esta revisão e deseja compartilha-la, envie que nós publicamos neste portal.

 

 

Especialidades: Cardiologia , Emergências Médicas Palavras-chave: , , , , , ,

Copyright © 2014 - 2018. Portal angomed.comTermo de Uso | Política de Privacidade