A A A

Inibidores da Neprisilina: uma nova classe para o Tratamento da Insuficiência Cardíaca

A insuficiência cardíaca é uma causa importante de mortalidade e morbidade no mundo. Grandes avanços no tratamento foram feitos nos últimos anos, principalmente no que diz respeito à medicamentos e dispositivos. No entanto ainda continua sendo uma condição progressiva de alta mortalidade.

Os mais recentes medicamentos aprovados para o tratamento insuficiência cardíaca (IC) e que reduzem a mortalidade são:

[su_list icon=”icon: heart” icon_color=”#bc2727″]

  • Em 2003 foi aprovado o uso dos inibidores dos receptores da aldosterona (eplerenona, espironolactona) para o tratamento da insuficiência cardíaca (estudo EMPHASIS-HFN Engl J Med 2011; 364:11-21);
  • Em 2005 o FDA aprovou associação hidralazina com nitrato oral para pacientes com IC com função ventricular reduzida. Esta classe foi recomendada especialmente para negros sintomáticos à despeito de tratamento optimizado. (estudo A-HeFTN Engl J Med 2004;351:2049-2057)
  • Em 2012 a Agência Europeia para Medicamentos aprovou a Ivabradina para o controle da frequência cardíaca em pacientes com insuficiência cardíaca (estudo SHIFT, Lancet 2010;376:875-885). A FDA não aprovou o seu uso nos EUA.

[/su_list]

Agora, uma nova classe de medicamentos se apresenta como a esperança para os pacientes com insuficiência cardíaca como redutor da mortalidade: o LCZ696, que inibe a angiotensina II e os receptores da neprisilina.

O inibidores da enzima conversora da angiotensina (IECA) tem sido a primeira linha no tratamento da disfunção sistólica. Dois estudos, o CONSENSUS (1987) e SOLVD (1991) demostraram redução importante na mortalidade. O bloqueadores dos receptores da angiotensina (BRA) também reduziram a mortalidade cardiovascular nestes pacientes e são recomendados para pacientes intolerantes aos IECA. Estudos subsequentes mostraram que o uso de beta-bloqueadores e antagonistas dos receptores da aldosterona, quando adicionado aos IECA, resultou em diminuições incrementais no risco de morte de 30 a 35% e de 22 a 30%, respectivamente.

Os Inibidores da Neprisilina

A neprisilina é uma endopeptidase, componente do sistema renina-angiotensina-aldosterona, que degrada uma série de péptidos vasoativos endógenos (péptidos natriuréticos, bradicinina, adrenomedulina, etc.). A inibição da neprisilina aumenta os níveis destas substâncias, reduzindo a pressão arterial, a retenção de sódio e o remodelamento cardíaco.

Inibidores da Neprisilina
Sistema Renina-Angiotensina e Sistema de Péptidos Natriuréticos. A combinação LCZ696 actua sobre estes dois sistemas. Fonte: MEDSCAPE

A dupla inibição do sistema renina-angiotensina e do sistema neprisilina tem um efeito superior quando comparado ao seu uso separado. Em estudos clínicos, porém, a combinação Neprisilina+IECA foi associado à angioedema importante.

O LCZ696 é uma combinação de sacubitril (grupo dos inibidores da neprisilina) com a valsartana (um BRA).

O estudo PARADIGM-HF

O estudo PARADIGM-HF (Prospective Comparison of ARNI [Angiotensin Receptor–Neprilysin Inhibitor] with ACEI [Angiotensin-Converting–Enzyme Inhibitor] to Determine Impact on Global Mortality and Morbidity in Heart Failure Trial) comparou o LCZ696 com o enalapril em pacientes com insuficiência cardíaca com disfunção sistólica (fração de ejeção média de 30%, classe funcional II-IV da NYHA).

O estudo foi randomizado (aleatório), cego, incluiu 8442 pacientes maiores de 18 anos (média de idade de 64 anos) e o tempo médio de seguimento de 27 meses. Os pacientes estavam usando beta-bloqueadores, digitálicos e bloqueadores dos receptores da aldosterona (espironolactona, eplerenona). Os desfechos ou endpoint primários foram morte cardiovascular e hospitalização por insuficiência cardíaca.

[quote font=”georgia” font_size=”18″ font_style=”italic” bcolor=”#dd3333″ arrow=”yes”]O LCZ696 é uma combinação de sacubitril (um inibidor da neprisilina) com a valsartana (um BRA).[/quote]

Desfechos do estudo PARADIGM-HF
Desfechos do estudo PARADIGM-HF

O resultados do estudo mostraram uma superioridade do LCZ696 em relação ao enalapril. O desfecho primário ocorreu em 21,8% e 26,5% (p < 0,001) respectivamente. Os resultados foram consistentes entre todos os desfechos. (VEJA A TABELA)

Assim, a combinação BRA/inibidor da neprisilina representa uma importante mudança no tratamento da insuficiência cardíaca crônica.

[tabs style=”h1″ ]
[tab title=”Leia também” ]

[/tab]
[tab title=”Referências” ]

  1. Prospective Comparison of ARNI With ACEI to Determine Impact on Global Mortality and Morbidity in Heart Failure – PARADIGM-HF 
  2. Eplerenone in Patients with Systolic Heart Failure and Mild Symptoms. N Engl J Med 2011; 364:11-21
  3. Combination of Isosorbide Dinitrate and Hydralazine in Blacks with Heart Failure. N Engl J Med 2004; 351:2049-2057
  4. The CONSENSUS Trial Study Group. Effects of enalapril on mortality in severe congestive heart failure: results of the Cooperative North Scandinavian Enalapril Survival Study (CONSENSUS). N Engl J Med 1987;316:1429-1435.
  5. The SOLVD Investigators. Effect of enalapril on survival in patients with reduced left ventricular ejection fractions and congestive heart failure. N Engl J Med 1991;325:293-302.
  6. Ivabradine and outcomes in chronic heart failure (SHIFT): a randomised placebo-controlled study
  7. Angiotensin–Neprilysin Inhibition versus Enalapril in Heart Failure. N Engl J Med 2014; 371:993-1004
  8. Neprilysin Inhibition — A Novel Therapy for Heart Failure. N Engl J Med 2014; 371:1062-1064

[/tab]
[/tabs]

Especialidades: Cardiologia , Insuficiência Cardíaca Palavras-chave: , , , , , , ,

Copyright © 2014 - 2018. Portal angomed.comTermo de Uso | Política de Privacidade