A A A

Possível benefício da Colchicina no Infarto Agudo do Miocárdio

Vários estudos identificaram os processos inflamatórios  como elementos chave dos efeitos da isquemia no infarto agudo do miocárdio com elevação do segmento ST (IAMCSST). A colchicina é uma substância com propriedades anti-inflamatórias significativas, apontada para uma utilização segura em doentes com doença cardiovascular. Um estudo recente, publicado no Circulation, teve como objectivo testar a hipótese de que um curto período de tratamento colchicina reduzir a área de infarto.

Ao todo foram incluídos 151 pacientes com IAMCSST com 12 horas ou menos de início da dor e tratados com intervenção coronária percutânea. Os pacientes foram randomizados em 2 grupos: colchicina por 5 dias vs placebo. O desfecho ou endpoint primário foi a área sob a curva de concentração de CK-MB (porção MB da creatina quinase, uma enzima liberada pelas células miocárdicas lesadas). Um subgrupo de 60 pacientes foram submetidos a ressonância magnética cardíaca (RM) com realce tardio pelo gadolínio 6 a 9 dias depois do infarto do miocárdio.

A área sob a curva de CK-MB foi significativamente menor (p < 0,001) no grupo que recebeu colchicina. Pela ressonância, o volume de miocárdio infartado indexado pela superfície corpórea também foi menor no grupo da colchicina com p = 0,019. O tamanho relativo do infarto (em relação ao volume do miocárdio do ventrículo esquerdo) também foi menor no grupo da colchicina em relação ao grupo controle (p = 0,034).

Os autores do estudo concluem que estes resultados sugerem um benefício potencial de colchicina no infarto agudo do miocárdio com elevação do segmento ST, mas são necessários mais ensaios clínicos para tirar conclusões seguras, especialmente considerando o facto de que o presente estudo não foi desenhado para avaliar desfechos clínicos, e não de mortalidade.

Fonte: Circulation (Abstract )

Especialidades: Cardiologia Palavras-chave: , ,

Copyright © 2014 - 2018. Portal angomed.comTermo de Uso | Política de Privacidade