A A A

Tratamento Cirúrgico para Insuficiência Mitral Isquémica Moderada (New England J Med)

New England Journal of Medicine, 4 de Dezembro de 2014

INTRODUÇÃO: A insuficiência mitral isquêmica está associada a um aumento da mortalidade e morbidade. Os benefícios da adição da correção da insuficiência valvar em paciente indicados a cirurgia de revascularização do miocárdio (CRM) ainda não está bem definido. MÉTODOS. Estudo multicêntrico, 301 pacientes foram randomizados um grupo com RM simples e outro grupo com CRM combinada com correção da valva mitral. O endpoint (desfecho) primário foi o índice volume sistólico final do ventrículo esquerdo  (LVESVI), uma medida do remodelamento ventricular esquerda, em 1 ano. RESULTADOS. Em 1 ano, a média LVESVI entre pacientes sobreviventes foi de 46,1 ± 22,4 ml por metro quadrado de área de superfície corporal no grupo RM-simples e 49,6 ± 31,5 ml por metro quadrado no grupo de procedimento combinado (uma variação significativa comparado com os valores prévios, – 9,4 e -9,3 ml por metro quadrado, respectivamente). A taxa de mortalidade foi de 6,7% no grupo de procedimento combinado e 7,3% no grupo CRM-simples (risco relativo com a correção da válvula mitral, 0,90; IC de 95%, 0,38-2,12; P = 0,81).  A adição de reparação da válvula mitral foi associada a um maior tempo de circulação extracorpórea (P <0,001), um tempo de internamento maior (P = 0,002), e mais eventos neurológicos (P = 0,03). Regurgitação mitral moderada ou grave foi menos comum no grupo de procedimento combinado que no grupo de CRM simples(11,2% vs. 31,0%, P <0,001). Não houve diferenças significativas entre os grupos quanto a eventos adversos cardíacos ou cerebrovasculares, mortes, readmissões, estado funcional ou a qualidade de vida em 1 ano. CONCLUSÕES. Em pacientes com insuficiência mitral isquêmica moderada, a revascularização do miocárdio combinada com a valvuloplastia não resultou em um maior grau de remodelamento reverso do ventrículo esquerdo. Reparação da válvula mitral foi associado com uma redução de prevalência de insuficiência mitral moderada ou grave, mas um aumento do número de eventos adversos. Assim, em 1 ano, este estudo não mostrou uma vantagem clinicamente significativa da adição de reparação da válvula mitral a cirurgia de revascularização do miocárdio. Um follow-up a longo prazo pode determinar se a menor prevalência de regurgitação mitral se traduz em um benefício clínico líquido.


Artigo Original (Abstract)

Título: Surgical Treatment of Moderate Ischemic Mitral Regurgitation

Autores: Peter K. Smith, M.D., at al

N Engl J Med 2014; 371:2178-2188

DOI: 10.1056/NEJMoa1410490

Especialidades: Cardiologia , Valvopatias Palavras-chave: , ,

Copyright © 2014 - 2021. Portal angomed.comTermo de Uso | Política de Privacidade